Bibliografia de Referência


ALBUQUERQUE, Afonso de. As três faces do quarto poder. In: XVIII Compós, PUC-MG, Belo Horizonte, MG, em junho de 2009 (Trabalho apresentado no GT “Comunicação e Política”).

______. A identidade jornalística no Brasil: algumas questões teóricas e metodológicas in E-Compós. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, v. 1, 2004, 1-14;

______. Media criticism à brasileira: o Observatório da Imprensa. X Encontro Anual da Compós, GT de Estudos do Jornalismo, Brasília, 2001;

______. Um outro Quarto Poder. Imprensa e compromisso político no Brasil. In: Revista Fronteiras – estudos midiáticos, vol.1, nº 1, dezembro de 1999;

ANDERSON, Perry. Afinidades eletivas, São Paulo, Perdizes, 2002;

ARAÚJO, Valéria Vilas Bôas & GOMES, Itania Maria Mota Gomes. Gênero televisivo como categoria cultural: uma análise do Infortúnio, da MTV Brasil, trabalho submetido para o VIII Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, SBPJOR, São Luis do Maranhão, novembro, 2010;

AUSTER, Al. HBO’s approach to generic transformation in EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian (Ed). Thinking outside the box. A contemporary television genre reader, The University Press of Kentucky, 2008, p. 226 – 246;

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem, 9ª, São Paulo: Hucitec, 1999.

BARATA, Marla de Miranda. Modos de Endereçamento do Telejornalismo Comunitário do Bahia Meio Dia, Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Jornalismo, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006;

BLUMLER, Jay & GUREVITCH, Michael. The Crisis of Public Communication, London, Routledge, 1995;

BORJA, Janira Tripodi. Qualidade e modos de endereçamento no Balanço Geral e Jogo Aberto, Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Jornalismo, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005;

BOURDIEU, Pierre. Meditações Pascalianas, Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2001;

BRAGA, José Luiz. ‘Lugar de fala’ como conceito metodológico no estudo de produtosculturais e outras falas in FAUSTO NETO, Antonio & PINTO, Milton (Orgs.) Mídia e Cultura, Rio de Janeiro, Diadorim/Compôs, 1997, p. 105-120;

BURKE, Peter & BRIGGS, Asa. Uma história social da mídia: de Gutenberg à internet, Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2006;

BURKE, Peter. O que é História Cultural?, Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2005;

BUTSCH, Richard. Five decades and three hundred sitcoms about class and gender in EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian (Ed). Thinking outside the box. A contemporary television genre reader, The University Press of Kentucky, 2008, p. 111-135

CANCLINI, Nestor García. Consumidores y Ciudadanos. Conflictos multiculturales de la
globalización, México, Editorial Grijalbo, 1995.

CHANDLER, Daniel. Semiotics for Beginners. Disponível em <www.aber.ac.uk/media/Documents/S4B/semiotc.html>, acesso em 15/08/2003;

CREEBER, Glen (Ed.)  The television genre book, 2nd edition, British Film Institute, 2008;

CREEBER, Glen (Ed.) Introduction: what is genre? in CREEBER, Glen (Ed.)  The television genre book, 2nd edition, British Film Institute, 2008, p. 1-13;

DALHGREN, Peter. Journalism as popular culture. In: Journalism and popular culture. London, Sage, 2000, p. 1-23.

DAYAN, Daniel. Pour une critique des médias In: Questions de Communication, 2005, no. 8, p.195-222;

_______. Quand montrer c’est faire in DAYAN, Daniel (Org.). La terreur spectacle. Terrorisme et télévision, Paris, De Boeck/INA, 2006, 165-184 ;

DEUZE, Mark. What is journalism? Professional identity and ideology of journalists reconsidered in Journalism, London: Sage Publications, 2005, Vol. 6(4): 442–464.

DUARTE, Dannilo de Oliveira. Jornalismo Policial na televisão: gênero e modo de endereçamento dos programas Cidade Alerta, Brasil Urgente e Linha Direta. 2007. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Cultura Contemporânea), Universidade Federal da Bahia;

EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian G. (Eds.) Thinking outside the box: A Contemporary
Television Genre Reader, The University Press of Kentucky, 2008, p. 17-36.

EDGERTON, Gary R. & NICHOLAS, Kyle. ‘I want my niche TV’: genre as a networking strategy in the digital era in EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian (Ed). Thinking outside the box. A contemporary television genre reader, The University Press of Kentucky, 2008, p. 247-267;

EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian. Introduction: Television genre in transition in EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian (Ed). Thinking outside the box. A contemporary television genre reader, The University Press of Kentucky, 2008, p. 1-13;

ESCOSTEGUY, Ana C. Cartografias dos estudos culturais. Belo Horizonte, Autentica, 2001.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina & JACKS, Nilda. Comunicação e Recepção. São Paulo, Hacker Editores, 2005;

EKSTROM, Mats. Information, storytelling and attractions: TV journalism in three modes of communication. Media culture society. London: Sage Publications, 2000. Vol 22, 465-492; (http://mcs.sagepub.com/cgi/content/abstract/22/4/465)

FABBRI, Paolo. Le comunicazioni di massa in Italia:sguardo semiótico e malocchio de La sociologia, Versus, 5, maio/agosto de 1973, disponível em www.semioticamente.it/versus/files/fabbri-vs5.pdf

FRANÇA, Vera. (Org.) Narrativas Televisivas: programas populares na TV. Belo Horizonte: Autêntica, 2006, p.13-45.

FERNANDES, Jair. Modos de Endereçamento em dois programas de entrevista brasileiros. Um estudo do Roda Viva e do Gordo a Go-Go Salvador, Facom/UFBA, 2005, (Trabalho de Conclusão do Curso de Jornalismo);

FEUER, Jane. Genre study and television in ALLEN, Robert C. (Ed.) Channels of discourse, reassembled, 2nd,  London, Routledge, 2003, p. 138-160;

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber, 7ª, Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2009;

_______. A Ordem do Discurso. Aula inaugural no Collège de France pronunciada em 2 de dezembro de 1970, 18ª, São Paulo, Edições Loyola, 2009;

FRANCISCATO, Carlos Eduardo. A fabricação do presente. Como o jornalismo reformulou a experiência do tempo nas sociedades ocidentais. São Cristóvão, Ed.UFS; Aracaju, Fundação Oviedo Teixeira, 2005;

_______. A atualidade no jornalismo. Bases para sua delimitação teórica, Salvador: UFBA, 2003 (Tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas);

FISKE, John. Television Culture. New York, London, Routledge, 1987;

FREIRE FILHO, João. A celebrização do ordinário na TV: democracia radical ou neo populismo midiático? In FREIRE FILHO, João & HERSCHMANN, Micael. Novos rumos da cultura da mídia: indústrias,produtos, audiências, Rio de Janeiro, Mauad X, 2007, 59-82;

GERAGHTY, Lincoln & JANCOVICH, Mark (Eds.)The shifting definitions of genre: Essays on labeling films, television shows an media, Jefferson, North Carolina, and London, McFarland & Company Publishers, 2007;

GOMES, Itania Maria Mota. Quem o Jornal do SBT pensa que somos? Modo de endereçamento no telejornalismo show. In: Revista FAMECOS, Porto Alegre, nº 25, dez. 2004. Disponível em: <http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/famecos/article/view/405/333>, acesso em 4 de nov. 2009;

______. Questões de método na análise do telejornalismo: premissas, conceitos, operadores de análise. In: Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, abr. 2007. Disponível em: <http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/viewFile/126/126>, acesso em 4 de nov. 2009;

______.Telejornalismo de qualidade: Pressupostos teórico-metodológicos para análise. In UNIrevista, v. 01, nº 3, jul. 2006. Disponível em: <www.unirevista.unisinos.br/_pdf/UNIrev_Gomes.pdf>, acesso em 4 de nov. 2009;

______. O que é o popular no jornalismo popular in FREIRE FILHO, João; GRANJA COUTINHO, Eduardo; e PAIVA, Raquel (orgs.). Mídia e Poder: Ideologia, Discurso e Subjetividade, Rio de Janeiro, Ed. Mauad X, 2008b;

______. O embaralhamento de fronteiras entre informação e entretenimento e a consideração do jornalismo como processo cultural e histórico, in DUARTE, Elizabeth Bastos & CASTRO, Maria Lília Dias de (Orgs.). Em torno das Mídias: práticas e ambiências, Porto Alegre, Sulina, 2008a, p. 95-112;

______. Das utilidades do conceito de modo de endereçamento para análise do telejornalismo. In: Elizabeth Bastos Duarte & Maria Lília Dias de Castro (Orgs.) Televisão: entre o mercado e a academia Porto Alegre, Ed. Sulina, 2006;

______.  Efeito e Recepção: a interpretação do processo receptivo em duas tradições de investigação sobre os media. Rio de Janeiro: e-papers, 2004. Disponível em: <http://www.e-papers.com.br/autor.asp?codigo_autor=163&codigo_produto=689>

______. A noção de gênero televisivo como estratégia de interação: o diálogo entre os cultural studies e os estudos da linguagem in Revista Fronteira, Vol. 4, nº 2, São Leopoldo, Unisinos, 2002, p. 11-28;

______.  Ingenuidade e Televisão. Investigação sobre o conceito de recepção e o processo comunicativo, Salvador, Facom/UFBA, 1995, (dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas);

GOMES, Itania Maria Mota et alii. “Modo de Endereçamento no Telejornalismo do Horário Nobre Brasileiro: o Jornal Nacional, da Rede Globo de Televisão”. Trabalho apresentado ao NP 07 – Comunicação Audiovisual, no XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Intercom, Rio de Janeiro, 2005;

GOMES, Luana. Fantástico, O Show da Vida. Gênero e Modos de Endereçamento em programas televisivos. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Jornalismo) – Universidade Federal da Bahia;

GOMES, Wilson da S. Esfera Pública Política e Media. Com Habermas, Contra Habermas. In RUBIM, A.; BENTZ, I.; PINTO, M. J.. (Orgs.). Produção e Recepção dos Sentidos Mediáticos, Petrópolis: Vozes, 1998, pg. 155-185.

______. Jornalismo, fatos e interesses: Ensaios de teoria do jornalismo. Florianópolis: Insular, 2009.

______. Transformações da política na era da comunicação de massa. 1. ed. São Paulo: Paulus, 2004.

GUERRA, Josenildo L.  O percurso interpretativo na produção da notícia: Verdade e relevância como parâmetros de qualidade jornalística. 1. ed. São Cristóvão: Editora UFS, 2008. v. 1. 279 p.

GUTMANN, Juliana Freire. Jornal da MTV em três versões. Gênero e modo de endereçamento como estratégias de mediação musical, Salvador, UFBA, 2005a (Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas);

GUTMANN, Juliana. FERREIRA, Thiago Emanoel & GOMES, Itania Maria Mota. Eles estão à solta, mas nós estamos correndo atrás. Jornalismo e entretenimento no Custe o que Custar, Revista e-compós, Vol. 11, nº2 maio-agosto de 2008, (http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/view/331/286 );

HALL, Stuart ; SOVIK, Liv; RESENDE, Adelaine (Org.) . Da Diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

Hall, Stuart. Representation: cultural representation and signifying practices, London: Sage, 1997.

Hall, Stuart. The work of representation in HALL, Stuart (Ed.). Representation: cultural representation and signifying practices, London, Sage, 1997;

HALL, Stuart et al. A produção social das notícias: o mugging nos media. In: TRAQUINA, Nelson (org.). Jornalismo: questões, teorias e ‘estórias’. Lisboa: Vega, 1993.

HARTLEY, John. Los usos de la televisión (Trad. de Juan Trejó Álvarez), Barcelona, Paidós, 2000;

______. Understanding News, London: Routledge, 2001.

HARTLEY, John et al. Conceptos clave en comunicación y estudios culturales, Buenos aires, Amorortu Editores, 1997;

JANOTTI JR, Jeder Silveira. Dos gêneros textuais, dos discursos e das canções: uma proposta de análise da música popular massiva a partir da noção de gênero midiático, Niterói, XIV Compós, 2005 (Trabalho apresentado no GT de Cultura das Mídias);

JENSEN, Klaus-Bruhn. Making sense of the news. Towards a theory and an empirical model of reception for the study of mass communication, Aarhus/Dennmark, Aarhus University Press, 1986;

______. News of the World: World cultures look at television news. Londres: Routledge, 1998.

JONES, Jeffrey P. Beyond genre: cable’s impact on the talk show in EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian (Ed). Thinking outside the box. A contemporary television genre reader, The University Press of Kentucky, 2008, p. 156-175;

JOST, François. Seis lições sobre televisão, Porto Alegre, Sulina, 2004.

_____. Le culte du banal. De Duchamp à télé-réalité, Paris: CNRS Editions, 2007 ;

JOUSSE, Thierry. Le gout de la télévision. Anthologie des Cahiers du Cinéma, Paris, INA/Cahiers du Cinéma, 2007;

LOPES, Maria Immacolata; BORELLI, Silvia & RESENDE, Vera da Rocha. Vivendo com a telenovela: mediações, recepção, teleficcionalidade, São Paulo, Summus, 2002;

MACHADO, Arlindo & VÉLEZ, Marta Lucía. Questões metodológicas relacionadas com a análise da televisão in Revista e-compos, edição 8, abril de 2007(http://www.compos.org.br);

MACHADO, Arlindo. A televisão levada a sério, São Paulo, Editora SENAC, 2000;

MAIA, Jussara Peixoto. O Jornal Nacional e o Globo Rural: as relações entre gêneros e modo de endereçamento no telejornalismo, Salvador, UFBA, 2005 (Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas);

MARTÍN-BARBERO, Jésus. La comunicación en las transformaciones del campo cultural, Alteridades, 1993, 3 (5), pgs. 59-68;

______. “América Latina e os anos recentes: o estudo da recepção em comunicação social” In: SOUSA, Mauro Wilton de (Org.). Sujeito, o lado oculto do receptor, São Paulo: Brasiliense, 1995, p. 39-67.

______. Experiencia audiovisual y desorden cultural. In: MARTÌN-BARBERO, Jesús y LÓPEZ de la ROCHE, Fábio (eds.) Cultura, medios y sociedad. Colombia, Ces/Universidad Nacional,1998, p.27-64;

______. Aventuras de un cartógrafo mestizo en el campo de la comunicación in Revista Latina de Comunicación Social, nº 19, La Laguna (Tenerife), julho de 1999. Em http://www.ull.es/publicaciones/latina/a1999fjl/64jmb.htm ;

______. De los medios a las mediaciones. Comunicación, cultura y hegemonia. México, Gustavo Gilli, 1987.

______. Dos meios às mediações: Comunicação, cultura e hegemonia. 5 ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2008;

______. De los medios a las practicas. In Cuadernos de comunicación y practicas sociales, n. 1, p. 9-18, 1990;

______. Recepcíon de medios y consumo cultural: travesías. In: SUNKEL, Guillermo. El consumo cultural em América Latina. Santafé de Bogotá, Convenio Andrés Bello, 1999, p. 2 – 25.

______. Pistas para entre-ver meios e mediações in MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações. Comunicação, Cultura e Hegemonia, 4ª, Rio de Janeiro, Editora UFRJ, 2006b, p. 11-21;

______. Tecnicidades, identidades, alteridades: mudanças e opacidades da comunicação no novo século. In: MORAES, Dênis (org.). Sociedade midiatizada. Rio de Janeir, Mauad X, 2006, p. 51-79;

______. A mudança na percepção da juventude: sociabilidades, tecnicidades e subjetividades entre os jovens. In: BORELLI, Silvia; FREIRE FILHO, João. Culturas juvenis no século XXI, São Paulo, EDUC, 2008, p.9-32.

______. As formas mestiças da mídia. Pesquisa FAPESP Online, edição 163, setembro 2009a, p.10-15. Entrevista concedida à Mariluce Moura.

______. Novas visibilidades políticas da cidade e visualidades narrativas da violência.  In: MATRIZes, São Paulo, vol.1, nº 1, out. 2007. Disponível em:<http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/MATRIZes/article/view/3988/3744> Acessoe em 03 de maio de 2010.

______. Ofício de cartógrafo: Travessias latino-americanas da comunicação na cultura. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

______. Uma aventura epistemológica. Matrizes, v. 2, n. 2, 2009b, p. 143-162. Entrevista concedida à Maria Immacolata Vassalo de Lopes;

MARTÍN-BARBERO, Jesús y MUÑOZ, Sonia. Televisión y melodrama. Gêneros y lecturas de la telenovela en Colombia. Bogotá, Tercer Mundo, 1992;

MARTIN-BARBERO, Jesús; REY, Germán. Os Exercicios do Ver – Hegemonia udiovisual e ficção televisiva. São paulo: Senac, 2001.

MITTELL, Jason. “A cultural approach to television genre” in Cinema Journal, 40, nº3, Spring 2001, p. 01 – 24;

______. Genre and Television: from Cop shows to cartoons in American Culture, New York, Routledge, 2004;

MORLEY, David & BRUNSDON, Charlotte. Everyday Television: “Nationwide”, London: British Film Institute, 1978;

______. The Nationwide Television Studies, London: Routledge, 1999;

NEWCOMB, Horace. Reflections on TV: The Most Popular Art in EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian (Ed). Thinking outside the box. A contemporary television genre reader, The University Press of Kentucky, 2008, p. 17-36;

______. The Most Popular Art, New York, Anchor Press, 1974;

ÖRNEBRING, Henrik. Televising the public sphere. Forty years of current affairs debate programmes on Swedish television. European Journal of Communication, Vol. 18, nº4, 2003, p. 501-527;

ORTIZ, Renato. A Moderna Tradição Brasileira: Cultura Brasileira e Indústria Cultural. Brasiliense, São Paulo, 2006.

PECORA, Norma. The changing face of children’s television in EDGERTON, Gary R. & ROSE, Brian (Ed). Thinking outside the box. A contemporary television genre reader, The University Press of Kentucky, 2008, p. 91-110;

PIMENTEL, Camila Filgueiras. Modos de Endereçamento do Globo Repórter. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Jornalismo) – Universidade Federal da Bahia;

PINTO, Julio. O Ruído e Outras Inutilidades. Ensaios de comunicação e semiótica, Belo Horizonte, Autêntica, 2002;

RENERO, Martha. De generos televisivos y usos familiares in Revista Comunicação & Política, AnoXI, n0.16, SP, CBELA1992, 79-92;

RONSINI, Veneza V. Mayora. A perspectiva das mediações de Jesús Martín-Barbero (ou como sujar as mãos na cozinha da pesquisa empírica de recepção). Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho “Recepção, Usos e Consumo Midiáticos”, do XIX Encontro da Compós, na PUC-RJ, Rio de Janeiro, em junho de 2010;

ROSE, Brian G. (Ed.) TV Genres. A Handbook and reference guide, London, Greenwood Press, 1985.

SANTOS, Luciana Silva. Enquadramento e endereçamento na editoria de política dos telejornais locais de Salvador, Salvador, UFBA, 2004 (Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas);

SARLO, Beatriz. Raymond Williams, uma releitura In: SARLO, Beatriz. Paisagens Imaginárias, São Paulo, Edusp, 1997, p. 85-95;

SCHUDSON, Michael. Discovering the news. A social history of american newspapers, New York, Basic Books Inc. Publishers, 1978;

______. A política da forma narrative: a emergência das convenções noticiosas na imprensa e na televisão in TRAQUINA, Nelson (Org.). Jornalismo: questões, teorias e estórias, Lisboa, Vega, 1993, p. 278 -293;

______.  The objectivity norm in American journalism In: Journalism, vol. 2 (2), 2001, 149-170;

______.The Power of News. London: Harvard University Press,
1995;

______.The Sociology of News. London/New York: W.W. Norton
&Company, 2003;

______.Descobrindo a Notícia. Editora Vozes, 2010.

SEMPRINI, Andrea. CNN et la mondialisation de l’imaginaire, Paris, CNRS Editions, 2000;

SIGNATES, Luiz. Estudo sobre o conceito de mediação e sua validade como categoria de análise para os estudos de comunicação. In: SOUZA, Mauro Wilton de (org.). Recepção Midiática e Espaço Público. São Paulo: Paulinas, 2006, p.55-79;

SILVA, Fernanda Mauricio da. Dos telejornais aos programas esportivos: gêneros televisivos e modos de endereçamento, Salvador, UFBA, 2005 (dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas);

SILVA, Grasiele Vivas Mendes. Ação para quem? Uma análise dos modos de endereçamento do Programa Ação, da Rede Globo. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Jornalismo) – Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico;

THOMPSON, Edward Palmer. A Formação da Classe Operária Inglesa, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987, 3 volumes;

______. The Making of the English Working Class, New York, Vintage Books, 1963;

TRAQUINA, Nelson (Org.). Jornalismo: questões, teorias e estórias, Lisboa, Vega, 1993;

TURNER, Graeme. Understanding celebrity, London: Sage, 2004;

WEAVER, Paul H. As notícias de jornal e as notícias de televisão in TRAQUINA, Nelson (Org.). Jornalismo: questões, teorias e estórias, Lisboa, Vega, 1993, p. 294-305;

WILLIAMS, Raymond. Culture and Materialism. London: Verso, 2005.

______. Cultura e Sociedade: 1780-1950 (Trad. de Leônidas H.B. Hegenberg; Octanny Silveira da Mota; e Anísio Teixeira), São Paulo: Ed. Nacional, [1958]1969.

______. Marxismo e Literatura (Trad. de Waltensir Dutra), Rio de Janeiro: Jorge Zahar, [1971]1979.

______. Palavras-chave: um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

______.  Television. Technology and Cultural Form, 2ª, London: Routledge, 1997.

______.  The Long Revolution, Harmondsworth: Penguin, 1961.


© Copyright 2010 Grupo de Pesquisa em Análise de Telejornalismo - Póscom / UFBA (Customizaçao Wordpress por Thiago Falcão).